Câmara de Curitiba recebe vereadores eleitos para 18ª legislatura

por Fernanda Foggiato — publicado 18/11/2020 16h50, última modificação 18/11/2020 18h30
A convite da Comissão Executiva, eles conheceram estrutura administrativa da Casa.
Câmara de Curitiba recebe vereadores eleitos para 18ª legislatura

Da esquerda para a direita, Leônidas Dias, Amália Tortato, Sabino Picolo Marcelo Fachinello e Pastor Marciano Alves. (Foto: Carlos Costa/CMC)

A Comissão Executiva da Câmara Municipal de Curitiba (CMC) convidou para visita ao Legislativo, nesta quarta-feira (18), os vereadores que assumirão o primeiro mandato a partir de 1º de janeiro de 2021. Eles foram orientados por servidores do Legislativo sobre questões administrativas, como documentação necessária para a posse, nomeação das equipes dos gabinetes e a sessão preparatória, no dia 19 de dezembro. 

O presidente da Casa, Sabino Picolo (DEM), conversou com os eleitos sobre os projetos da Comissão Executiva. “Fizemos a modernização do plenário, que garantiu a realização das sessões mesmo durante a pandemia. Tivemos o mesmo número de sessões e aprovamos o mesmo número de projetos que no ano passado”, afirmou. Ele citou, dentre outras iniciativas, a economia de quase R$ 40 milhões, cuja maior parte foi destinada à saúde pública municipal, para auxiliar o combate à pandemia da Covid-19; a revitalização da praça Eufrásio Correia; e a iluminação do Palácio Rio Branco, em suporte a campanhas de conscientização, a exemplo do Novembro Azul.

Conforme o segundo-secretário da CMC, Professor Euler (PSD), o objetivo da visita é “começar a ambientar os novos vereadores”, que têm agora, antes da posse, pouco menos de um mês e meio para se organizarem. “Eu particularmente, quando cheguei, ninguém fez o mesmo. Já no começo do ano [dia 2 de janeiro] a gente tem a eleição da Mesa, com regras específicas”, explicou. Outra questão abordada com os eleitos, mencionou, foi a escolha dos gabinetes: “A gente tem que decidir da forma mais democrática possível”.



Os primeiros “novatos” recebidos na Câmara, nesta manhã, foram Amália Tortato (Novo), Pastor Marciano Alves (Republicanos), Leônidas Dias (Solidariedade) e Marcelo Fachinello (PSC). “Acho importante entender como são os primeiros passos, conhecer melhor a Casa”, disse Amália, que em 2018 havia se candidatado a deputada estadual. Ela traz como principais bandeiras a educação infantil; facilitar a vida do empreendedor e a desburocratização; gerar emprego e renda; e revogar “leis inúteis”. A escolha da equipe do gabinete, indicou, será feita por meio de um processo seletivo. “Temos que ter pessoas qualificadas trabalhando com a gente. A equipe faz toda a diferença.”

Eleito na primeira eleição que disputou em Curitiba, Pastor Marciano Alves é da Igreja Visão Missionária. Com a defesa da família como principal bandeira, ele avaliou como “fundamental” essa aproximação inicial e o contato com os servidores do Legislativo. “De um a dez, [a expectativa] é dez. Não tenho dúvida, não tenho receio, nada.”

Leônidas Dias, que aos 34 anos será o mais jovem da 18ª legislatura, já conhecia a Câmara a partir dos projetos sociais em que atua e participações em audiências públicas. “Mas é diferente quando chega o mandato”, ponderou o jornalista. “Estou feliz, animado para colocar em prática o que defendo para a sociedade.” Eleito na segunda candidatura ao Legislativo, ele traz como bandeiras o desenvolvimento do esporte amador, a geração de emprego e renda e o debate da saúde mental. 

O jornalista Marcelo Fachinello, que se elegeu na segunda eleição à Câmara de Curitiba e tem como principal bandeira o esporte, também considerou importante “para a gente que é vereador de primeiro mandato” saber mais sobre estrutura da Casa e questões como a diplomação. A expectativa, de acordo com ele, é “fazer uma política mais barata e que dê mais retorno às pessoas. Um mandato enxuto e com maior participação popular.”

Também foram recepcionados na CMC os vereadores eleitos Alexandre Leprevost (Solidariedade), Carol Dartora (PT), Hernani (PSB), Nori Seto (PP), Renato Freitas (PT), Salles do Fazendinha (DC), Sargento Tânia Guerreiro (PSL) e Sidnei Toaldo (Patriota).

A visita, avaliou Alexandre Leprevost, eleito já na primeira vez em que se candidatou, foi positiva. “Acho que é importante que os vereadores conheçam a estrutura da Câmara, seu funcionamento”, declarou. Ele indicou como aspecto mais interessante das conversas a articulação para a nova Mesa Diretora. O parlamentar eleito traz como bandeiras a saúde e a prevenção à diabetes; o esporte; as micro, pequenas e médio empresas; o turismo, o entretenimento e a gastronomia.

A eleição no último domingo (15), contou Hernani, foi “uma conquista de mais de 20 anos”, após seis candidaturas à Câmara Municipal. Com atuação em projetos sociais no Bairro Alto, Atuba, Boa Vista e Santa Cândida, ele elenca como área prioritária de atuação a saúde. A visita, apontou, “esclareceu bastante dúvidas, como pontos do regulamento da Casa” e teve como destaque a receptividade dos servidores.

Para Nori Seto, que no pleito de 2016 havia ficado como segundo suplente do PSB, as conversas foram importantes para trazer conhecimentos para o mandato, em especial quanto à formação dos blocos parlamentares. “Entraremos em janeiro e já saberemos como funcionam as coisas”, avaliou. Ele traz como principais bandeiras a educação, a saúde, o exercício da plena cidadania, mais eficiência ao serviço público e a sustentabilidade.

Eleito na segunda candidatura à CMC, Renato Freitas indica como principais bandeiras a luta por moradia, pela cultura de periferia, pelo movimento negro, pelos direitos humanos e pela educação. O destaque do último pleito municipal, opinou, foram a renovação do Legislativo (de 47%) e “outras vozes que talvez pela primeira vez na história da cidade foram consideradas e reconhecidas, como os jovens negros que representamos”. As conversas desta manhã, disse ele, foram esclarecedoras em especial sobre a composição da Mesa, comissões e “como se dá a política aqui dentro”.

A Sargento Tânia Guerreiro, que em 2020 disputou seu segundo pleito municipal, tem como meta “transformar Curitiba em referência nacional no combate à pedofilia”. A vereadora eleita também traz como bandeira a defesa da família, em questões como o combate ao aborto e à violência doméstica. “A gente ainda vai aprender. Estou aqui para conhecer a Casa, seu funcionamento”, relatou.

Salles do Fazendinha, que se candidatou pela primeira vez aos 18 anos de idade, participou, em 2020, da quarta eleição. Em 2012 e em 2016 foi suplente de vereador. Embora já conhecesse a Câmara, considera a visita oficial importante para tratar de questões burocráticas e administrativas, além da articulação dos blocos para a Mesa. Ele tem como foco “o progresso de Curitiba”, e não só das regionais CIC e Portão, com propostas para a saúde, o combate e a prevenção da dependência química, o EstaR e os Armazéns da Família.

>> Confira mais fotos no Flickr da CMC.

Na avaliação de Sidnei Toaldo, que já trabalhou como assessor parlamentar de Maria Manfron (PP) e dos ex-vereadores Horácio Rodrigues e Aldemir Manfron, a recepção foi “excelente”. O eleito pontuou que a Casa, ao longo dessas últimas três décadas, avançou na tecnologia, como no protocolo eletrônico de projetos de lei e das demais proposições. Ele pretende trabalhar “pelo povo de Curitiba como um todo”, em áreas como esporte (em especial o amador), emprego, fiscalização do orçamento municipal e novos rumos da educação.

Devido a outros compromissos, Carol Dartora não conversou hoje com a equipe da Diretoria de Comunicação. No último domingo, na transmissão ao vivo da apuração das eleições municipais, a primeira mulher negra eleita para uma cadeira da CMC prometeu “um mandato popular e coletivo”, com o debate “do transporte coletivo e do acesso das pessoas à cidade”. 

Na última segunda (16), os vereadores recepcionaram em plenário a primeira mulher mais votada para a Câmara de Curitiba, Indiara Barbosa (Novo). Nessa terça (17), o Legislativo foi visitado por Eder Borges e Márcio Barros, ambos do PSD, e João da Loja 5 Irmãos (PSL). Nesta quinta (19) e sexta-feira(20), a Casa deve receber, respectivamente, Denian Couto (Pode) e Flávia Francischini (PSL). 

A diplomação no Tribunal Regional Eleitoral do Paraná (TRE-PR) está marcada para 18 de dezembro e a sessão preparatória da CMC, dia 19. Presidida pela vereadora mais votada, a solenidade de posse será realizada em 1º de janeiro, a partir das 14 horas. A eleição da Mesa Diretora do biênio 2021/2022 ocorrerá no dia seguinte.