Salamuni preside última sessão e destaca transparência

por Assessoria Comunicação publicado 17/12/2014 14h05, última modificação 28/09/2021 09h29

Na última sessão de 2014, o presidente da Câmara Municipal de Curitiba, Paulo Salamuni (PV), despediu-se emocionado do cargo e apresentou um balanço da gestão. “Nós, do primeiro biênio da 16ª legislatura, devolvemos à Casa sua função deliberativa. Adotamos a transparência como principal diretriz”, disse o vereador, aplaudido de pé pelos parlamentares. O plenário retorna no dia 2 de fevereiro de 2015, após o recesso parlamentar, sob a presidência de Ailton Araújo (PSC), atual primeiro-secretário.

“Eu me comprometi a não ficar eternamente nesta cadeira, que não pertence a uma pessoa, e sim ao povo de Curitiba. Presidi as sessões com paixão”, disse Salamuni. Ele fez um agradecimento aos integrantes da Mesa Diretora, demais vereadores e aos servidores da Casa. Segundo o vereador, sua expectativa era “trazer para a Câmara a Curitiba que via lá fora”.

“A democracia é resultado da troca direta entre os vereadores e a sociedade. A Casa atingiu esse objetivo ao realizar quase 90 audiências e reuniões públicas nos últimos dois anos. Ouvimos e buscamos soluções”, declarou. “Parece contrassenso, mas só os que aqui sofreram irrefutáveis e irrevogáveis imposições do Poder Executivo em gestões passadas podem ter a dimensão da liberdade de debate e voto da qual gozamos agora. Os exaustivos debates neste plenário, a deliberação dos projetos.”

Salamuni ainda destacou avanços na Lei de Acesso à Informação, divulgação dos salários dos servidores, publicação de contratos na íntegra, detalhamento de despesas com viagens e repasse de parte das economias à manutenção do transporte coletivo e da saúde municipais. “Estamos reconstruindo a imagem de um Parlamento sem dilapidar o patrimônio do Povo de nossa cidade. A redução das despesas nos permitiu uma economia de cerca de R$ 50 milhões”, completou.

Líder do PV e futuro segundo vice-presidente da Casa, o vereador Cristiano Santos reiterou os “debates sempre democráticos, ouvindo os dois lados”. Ele salientou, entre outras questões, o fim do voto secreto e o retorno ao Palácio Rio Branco. “Foi um trabalho árduo, de resgate da transparência”, acrescentou.

Para o líder do prefeito e primeiro-secretário do biênio 2015/2016, Pedro Paulo (PT), o principal saldo positivo da gestão foi o diálogo com diferentes categorias, como o magistério e os guardas municipais. “São os servidores que executam os programas”, apontou o parlamentar, que agradeceu aos colegas e servidores da Casa e do Município. “Aprendi muito e pretendo continuar aprendendo na nova função”, complementou.

O segundo-secretário, Serginho do Posto (PSDB), saudou Salamuni, parabenizou os vereadores e servidores e registrou sua satisfação de participar da Mesa Diretora. “Tivemos a oportunidade avançar em alguns aspectos administrativos, buscando elevar a Câmara de Curitiba a outro patamar. Acredito que estamos no caminho certo”, concluiu o futuro terceiro-secretário do Poder Legislativo de Curitiba.

Matéria relacionada:

Com 25 votos, Araújo é eleito presidente da Câmara de Curitiba