Plenário confirma substituição do cabeamento aéreo por subterrâneo

por Assessoria Comunicação publicado 10/12/2014 16h30, última modificação 28/09/2021 09h06

A Câmara Municipal de Curitiba acatou em segundo turno, na tarde desta quarta-feira (10), o projeto de lei do vereador Pedro Paulo (PT) que trata da substituição gradativa das redes aéreas pelo cabeamento subterrâneo (005.00181.2013). Com a aprovação de uma emenda (032.00069.2014), proposta por Felipe Braga Côrtes (PSDB) e assinada por diversos parlamentares, o texto passará pela votação da redação final, na próxima semana.

A emenda determina que as ligações prediais sejam executadas simultaneamente às redes subterrâneas. Braga Côrtes citou o exemplo da rua Riachuelo, que foi revitalizada e já possui a galeria subterrânea. “A ligação predial não foi resolvida e se manteve os cabos aéreos”, disse. “Esperamos que as ruas da Zona Central da cidade, daqui a seis anos, tenham só as árvores, e não mais os postes”.

“O enterramento dos cabos gera um passivo à cidade, não só na questão paisagística. Espero que haja a sanção integral, mesmo com o grande desafio que será substituir as redes aéreas por subterrâneas no prazo de seis anos, na Região Central”, declarou Pedro Paulo. Chicarelli (PSDC) absteve-se quanto ao projeto e à emenda, enquanto os demais votos foram favoráveis.

A matéria atinge as empresas e concessionárias responsáveis pela fiação de energia elétrica, de telefonia, de comunicação de dados via fibra óptica e de televisão a cabo, dentre outras, com a exceção das redes aéreas de transmissão. Se o projeto for sancionado ou promulgado, a lei entrará em vigor 90 dias após a publicação no Diário Oficial do Município.

Matéria relacionada:

Aprovada substituição do cabeamento aéreo por subterrâneo