Câmara de Curitiba instala Comissão de Acessibilidade

por Assessoria Comunicação publicado 04/12/2013 18h00, última modificação 21/09/2021 09h15

Na tarde desta quarta-feira (4), a Câmara promoveu a instalação da Comissão Permanente de Acessibilidade, colegiado criado em agosto deste ano. A cerimônia foi aberta por Paulo Salamuni (PV) e presidida por Zé Maria (SSD), autor do projeto que deu origem à Comissão e vereador eleito para presidi-la. O evento contou com tradução simultânea na Língua Brasileira de Sinais (Libras). A sessão também contou com a presença dos vereadores Valdemir Soares (PRB), primeiro vice-presidente da nova comissão, Julieta Reis (DEM), segunda vice-presidente, Bruno Pessuti (PSC) e Jonny Stica (PT).

Para Paulo Salamuni, a busca de soluções para a questão da acessibilidade se configura num fator imperativo na busca de uma cidade mais igualitária e humana. O presidente da Câmara destacou que “se trata da 10a comissão permanente em atividade na Casa e foi criada com base no artigo 56 do Regimento Interno, com anuência de todos os parlamentares”. “Certamente a criação do novo colegiado será positiva para Curitiba, além de estar em total consonância com o novo momento de transparência e abertura vivido pela Câmara”.

Zé Maria falou sobre a luta pela instauração da Comissão de Acessibilidade. “Foram nove anos de estudos, debates e muita perseverança, mas finalmente a Casa foi sensível à necessidade desta comissão, que tem entre seus objetivos principais, a orientação dos órgãos públicos responsáveis pela eliminação das barreiras físicas e adequação dos espaços que dificultam o acesso e o livre trânsito de pessoas com deficiência, com limitações de movimento e idosos”, explicou o parlamentar.

“A comissão analisará projetos, proporá melhorias e emitirá pareceres sobre vistorias realizadas, sempre se pautando por critérios de natureza inclusiva e democrática”, salientou Zé Maria. O vereador também lembrou que os banheiros públicos de Curitiba atualmente não estão equipados para receber pessoas deficientes e o estado de conservação das calçadas também não é animador. “A comissão estará sempre em contato com as entidades civis que trabalham pela acessibilidade no sentido de mapear os locais que mais necessitam de intervenções”, disse ele. O presidente do colegiado também adiantou que a primeira fiscalização será realizada nas obras do estádio Joaquim Américo, pertencente ao Clube Atlético Paranaense.    

“Embora não seja exatamente a primeira iniciativa nesse sentido de uma Casa Legislativa no Brasil, a Comissão de Acessibilidade da Câmara vai se esforçar para que suas ações produzam resultados concretos para os que enfrentam qualquer espécie de limitação física”, finalizou Zé Maria.