Transmissão das sessões da CMC passa a ter tradução simultânea em Libras

por José Lázaro Jr. — publicado 08/02/2021 11h05, última modificação 08/02/2021 16h57
Tradução em Libras está prevista no Regimento Interno desde 2017. Intérpretes são da Federação Nacional de Educação e Integração dos Surdos.
Transmissão das sessões da CMC passa a ter tradução simultânea em Libras

Com transmissão em Libras, CMC aumenta acessibilidade do Legislativo. (Foto: Rodrigo Fonseca/CMC)

Comemorando o aumento da acessibilidade na Câmara Municipal de Curitiba (CMC), o presidente do Legislativo, Tico Kuzma (Pros), nesta segunda-feira (9), anunciou que as sessões plenárias passarão a ter tradução simultânea em Língua Brasileira de Sinais (Libras). “A partir de hoje, teremos intérpretes de Libras traduzindo tudo que é dito na CMC para os curitibanos. É um ganho para a sociedade, que amplia seu controle social sobre o Legislativo, e um gesto de respeito da instituição às pessoas com deficiência, que não serão mais excluídas dos debates sobre o futuro da cidade”, afirmou Kuzma.

“A inclusão é a minha causa mais importante. As ações do poder público, em todas as esferas, precisam ser acessíveis a todos os cidadãos indiscriminadamente. A tradução das sessões plenárias em Libras é um avanço importante na Câmara Municipal. Um ótimo exemplo para outros órgãos. Vamos avançar ainda mais”, acrescentou Flávia Francischini (PSL). No cargo de primeira secretária da Mesa Diretora, a vereadora compõe a Comissão Executiva da CMC, que é responsável pela administração do Legislativo.

Nesta segunda, a equipe de tradutores foi formada por Fernanda Mota Fontoura, Rafaela Castilho e Wagner Silva Machado. "É importante haver o revezamento entre a equipe, para evitar que o cansaço interfira na qualidade da tradução", explicou Machado. Ele adiantou que, nesse início, acontece a construção do vocabulário, pois é uma atividade nova na CMC, logo é preciso trabalhar os termos técnicos até serem assimilados. "Logo, cada vereador, por exemplo, terá um sinal próprio [para identificá-lo]", adiantou. Na equipe, Fernanda Fontoura é tradutora-surda, com curso superior em Letras Libras, sendo a referência para a equipe nesta fase de adaptação.

A tradução simultânea em Libras está prevista no Regimento Interno da CMC desde 2017, quando foi incluída na minirreforma das regras de funcionamento do Legislativo (leia mais). De lá para cá, projetos-pilotos foram realizados na Câmara, preparando a instituição para a mudança. A tradução será realizada por meio de parceria com a Federação Nacional de Educação e Integração dos Surdos (Feneis), cuja contratação por dispensa de licitação foi ratificada neste ano, após ser analisada na CMC desde 2019.

Confira aqui imagens que mostram o funcionamento da tradução em Libras.