Primeiro suplente do PSD assume cadeira que pertencia a Jairo Marcelino

por José Lázaro Jr — publicado 03/11/2020 16h05, última modificação 03/11/2020 16h51
Seguindo recomendação do TJ-PR, CMC seguiu lista de suplentes gerada na diplomação da legislatura.
Primeiro suplente do PSD assume cadeira que pertencia a Jairo Marcelino

Cadeira de Jairo Marcelino na CMC é entregue para Alex Rato, hoje filiado ao Patriota. (Foto: Rodrigo Fonseca/CMC)

Nesta terça-feira (3), a Câmara Municipal de Curitiba (CMC) deu posse ao primeiro suplente do PSD, conforme a lista gerada na diplomação desta legislatura, para que ele ocupe a vaga decorrente do falecimento de Jairo Marcelino. A decisão da Mesa Diretora segue orientação da Justiça Estadual, que entende não ser da competência do Legislativo decidir sobre o impacto da troca de partido no cumprimento daquela sequência estabelecida nas urnas (leia mais). Com isso, assume a cadeira do ex-vereador, na CMC, Alex Desonê de Lara Vaz, conhecido como Alex Rato, atualmente filiado ao Patriota. 

O novo vereador já tinha participado da legislatura, de março de 2019 até outubro deste ano, quando Felipe Braga Côrtes, do PSD, que estava licenciado para ocupar o cargo de diretor do Departamento de Apoio à Pessoa Com Deficiência e de Políticas Públicas de Acessibilidade no governo do Paraná, voltou para o Legislativo. Na rápida cerimônia de posse, conduzida por Sabino Picolo (DEM), presidente da CMC, Alex Rato fez uma deferência à memória de Marcelino. “Ele sempre me orientou na Câmara. Que descanse em paz. Eu agradeço por tudo que me ensinou e que fez por mim”, agradeceu.

Restrições eleitorais

A cobertura jornalística dos atos públicos do Legislativo será mantida, objetivando a transparência e o serviço útil de relevância à sociedade. Também continua normalmente a transmissão das sessões plenárias e reuniões de comissões pelas mídias sociais oficiais do Legislativo (YouTube, Facebook e Twitter). Entretanto, citações, pronunciamentos e imagens dos parlamentares serão controlados editorialmente até as eleições, adiadas para o dia 15 de novembro de 2020, em razão da pandemia do novo coronavírus.

Em respeito à legislação eleitoral, não serão divulgadas informações que possam caracterizar uso promocional de candidato, fotografias individuais dos parlamentares e declarações relacionadas aos partidos políticos. As referências nominais aos vereadores serão reduzidas ao mínimo razoável, de forma a evitar somente a descaracterização do debate legislativo (leia mais).