Tribuna Livre: presidente do Sindivet destaca importância do médico veterinário

por Sophia Gama*, especial para a CMC — publicado 29/10/2021 13h15, última modificação 29/10/2021 13h14
O tema foi abordado, na última quarta-feira, no espaço democrático de debates da CMC.
Tribuna Livre: presidente do Sindivet destaca importância do médico veterinário

A convite do vereador Nori Seto, o orador foi o médico veterinário Cezar Amim Pasqualin. (Foto: Rodrigo Fonseca/CMC)

Durante a sessão plenária da Câmara Municipal de Curitiba (CMC) dessa quarta-feira (27), o espaço da Tribuna Livre foi aberto para o debate do tema “O Médico veterinário e a saúde única”. A convite do vereador Nori Seto (PP), o presidente do Sindicato dos Médicos Veterinários do Paraná (Sindivet-PR), Cezar Amim Pasqualin, foi quem discorreu sobre o assunto. 

Pasqualin falou da importância do médico veterinário dentro da saúde única – ou seja, a intersecção da saúde humana, animal e ambiental–, suas diversas áreas de atuação e as ações do Sindivet. “Nossa profissão tem a obrigação de se comunicar com todas as profissões que fazem a diferença em nossa sociedade. Por isso, a saúde única é um exemplo típico: são 14 profissões que têm envolvimento direto dentro da área. Tem que haver essa permeabilidade, essa forma de interligar e tornar a responsabilidade mais ampla”, afirmou. 

Entre as ações realizadas pelo sindicato, Pasqualin mencionou a consultoria em projetos de lei. “Fazemos isso no Senado, na Câmara dos Deputados, na Assembleia Legislativa do Paraná e na Câmara de Vereadores. Estamos sempre tentando colaborar dentro da lógica de uma lei, para que, principalmente, ela não se torne inócua após a publicação, mas sim efetivamente operacional”, completou o orador da Tribuna Livre. 

Conforme a apresentação, são cerca de 80 as áreas em que o médico veterinário pode atuar. Algumas delas são a defesa sanitária animal; a higiene, qualidade, inspeção e tecnologia de produtos de origem animal; fiscalização e vigilância sanitária; a pesquisa e a extensão, entre outras. O estado tem cerca de 14 mil profissionais veterinários ativos. O Brasil, 154 mil. Das 493 escolas de Medicina Veterinária do país, 35 estão no Paraná. 

Aberta a palavra aos vereadores, Maria Leticia (PV) indagou sobre as políticas públicas existentes no âmbito da saúde única e que podem ser implementadas pela Secretaria Municipal da Saúde (SMS), em conjunto com os médicos veterinários. Conforme Pasqualin, o Sindivet mantém bom diálogo com o Executivo. “A Secretaria de Saúde tem hoje, em seu quadro, excelentes profissionais. E tem o que nós chamamos de composição multidisciplinar. Com certeza absoluta eles têm essa preocupação, de quando elaboram políticas públicas, fazer isso de maneira integrada. Nós temos conversado com a secretária Márcia [Huçulak], e ela sabe o papel que nos aguarda sob responsabilidade, neste sentido de integração multiprofissional”, declarou. 

Criação de animais

Em resposta ao vereador Marcelo Fachinello (PSC), a respeito da proibição à criação de animais no município e como o Legislativo poderia ajudar, Cezar Pasqualin afirmou que “é necessária a integração de políticas públicas de Curitiba com a região metropolitana”. “Esse tema precisa de uma política sincronizada e integrada com a RMC. Caso contrário, não funciona”, continuou. 

Não adianta proibir em Curitiba, liberar em Quatro Barras. Não é sobre a proibição em si, é discutir o processo. Proibir é muito relativo no seu efetivo resultado. Muitos bons criadores tiveram que sair de Curitiba para continuar seus trabalhos exemplares de cuidado e criação animal”, completou o veterinário. 

No último bloco de perguntas, o vereador Nori Seto questionou seu convidado sobre como o Município pode atuar, utilizando e valorizando a Medicina Veterinária, na elaboração de políticas públicas e ações, dentro do conceito de saúde única. “Chamando para eventos públicos múltiplas profissões. Interagir as políticas dentro de eventos, com a multidisciplinaridade”, respondeu. 

O veterinário também reforçou o convite a evento do Sindivet, no dia 3 de novembro em comemoração ao Dia Mundial da Medicina Veterinária. “Nós viemos de maneira muito humilde, mas com persistência e consciência de que nosso dever transcende a uma organização. De que tem muito mais responsabilidade social nos aguardando”, finalizou. 

O presidente do Legislativo, Tico Kuzma (Pros), agradeceu a presença de Pasqualin e reforçou que a CMC está aberta para ouvir e dialogar com a população, a sociedade civil e outros órgãos públicos, buscando o bem comum. 

Acompanhe a sessão plenária e o debate na íntegra aqui. Confira também as fotos do debate, no Flickr da CMC. 

Tribuna Livre

A Tribuna Livre é um espaço democrático de debates mantido pela CMC, para ser um canal de interlocução entre a sociedade e os parlamentares. Conforme o Regimento Interno do Legislativo, os debates ocorrem nas quartas-feiras, durante a sessão plenária – conforme acordo de líderes, após os pronunciamentos do pequeno expediente.

Os temas discutidos na Tribuna Livre são sugeridos pelos vereadores, que por meio de um requerimento indicam uma pessoa ou entidade para discursar e dialogar no plenário. As falas neste espaço podem servir de prestação de contas de uma entidade que recebe recursos públicos, apresentação de uma campanha de conscientização, discussão sobre projeto de lei em trâmite na Casa etc.

Se você participa de uma entidade, representa uma causa ou atividade coletiva, entre em contato com um dos vereadores para sugerir a realização da Tribuna Livre. O RI veda o uso desse espaço por representantes de partidos políticos; candidatos a cargos eletivos; e integrantes de chapas aprovadas em convenção partidária.

Clique aqui para consultar todos os temas já abordados na Tribuna Livre em 2021.

*Notícia elaborada pela estudante de Jornalismo Sophia Gama*, especial para a CMC

Supervisão do estágio: Fernanda Foggiato

Revisão: Fernanda Foggiato.