Tribuna Livre: Associação Amigos do HC apresenta projeto para terceira idade

por Pedritta Marihá Garcia — publicado 10/11/2021 16h20, última modificação 10/11/2021 16h18
Projeto Cedivida, Centro de Direitos à Vida da Pessoa Idosa, foi lançado este ano em plataforma digital e terá sede física em 2022. Entidade completou 35 anos em 2021.
Tribuna Livre: Associação Amigos do HC apresenta projeto para terceira idade

“É um projeto que nasce já com enraizamento para se tornar nacional. E isso vai depender muito mais dos atores envolvidos, do que a própria associação”, disse Pedro de Paula Filho. (Foto: Rodrigo Fonseca/CMC)

Com o objetivo de melhorar a qualidade de vida dos pacientes do Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Paraná (UFPR), de familiares e seus acompanhantes, a Associação Amigos do HC completou 35 anos de fundação este ano. Para falar da importante data, a entidade esteve na Câmara Municipal de Curitiba (CMC) nesta quarta-feira (10). Na Tribuna Livre, seu presidente, Pedro de Paula Filho, apresentou aos vereadores e vereadoras o mais recente projeto da instituição, o Cedivida – Centro de Direitos à Vida da Pessoa Idosa.

O espaço concedido para a Amigos do HC foi concedido por Leonidas Dias (076.00041.2021) a pedido de Sidnei Toaldo (Patriota). Graças aos esforços da associação, hoje são, em média, R$ 8 milhões por ano, de repasses, doações, projetos e destinação do imposto de renda. Além disso, a fundação já recebeu uma série de reconhecimentos, como o Prêmio Zilda Arns, o Prêmio Impulso de Boas Práticas no 3º Setor e o Selo Sesi ODS 2020.

O mais novo projeto da associação, o Cedivida, foi lançado em julho deste ano em parceria como Ministério Público do Paraná (MPPR), funciona na plataforma digital e ganhará uma sede física em 2022, já em construção com recursos próprios da Amigos da HC. Segundo Pedro de Paula, a iniciativa atende pessoas da terceira idade e prestará serviços nos mesmos moldes do Projeto Dedica, fundado em 2016 com o intuito de promover atendimento multidisciplinar para crianças e adolescentes que foram vítimas de violência, “processo que é crescente na sociedade”.

Somente em 2020, o Dedica realizou mais de 7 mil atendimentos em 2020. Agora, com o Cedivida, a ideia é que o projeto se torne referência nacional, já que conta com um parceiro importante, que é o MPPR. “A exemplo da criança, temos a outra ponta, o idoso, que é a população que mais cresce no Brasil e no mundo. Imaginamos que no Brasil, nos próximos 10 anos, teremos mais nascimentos de idosos do que de crianças. Teremos mais idosos do que bebês e isso é uma realidade”, argumentou o presidente da Amigos do HC.

O público-alvo do Cedivida é a pessoa idosa assistida pelo HC, mas a plataforma digital e as atividades híbridas presenciais também serão voltadas às demais parcelas desta população. Pedro de Paula informou, ainda, que procuradores e juízes já acessam a ferramenta para dar encaminhamentos a atendimentos em todo o Paraná, revelando que o serviço é necessário em todo o estado. O site foi construído para que tenha “bom tráfego e seja amigável”  para facilitar o acesso justamente aos idosos.

“É um projeto que nasce já com enraizamento para se tornar nacional. E isso vai depender muito mais dos atores envolvidos, do que a própria associação. Entendemos que por mais que a associação tenha crescido e o projeto frutificado, temos que ter um enraizamento maior”, disse o convidado da Tribuna Livre. A expectativa é que até 100 pessoas possam participar das oficinas que serão promovidas pelo Cedivida no atendimento híbrido, que será lançado em 2022.

A estimativa de custos para a execução do novo projeto foi estimada pela Amigos do HC em R$ 548,6 mil em 12 meses. “É para o funcionamento do projeto, já que o centro terá sede própria”, emendou Pedro de Paula, ao pedir apoio dos vereadores e vereadoras na elaboração de emendas para Cedivida. Ainda de acordo com ele, para o material permanente, que custará em média R$ 111 mil por ano, já está sendo viabilizada a captação dos recursos. O Poder Público e a iniciativa privada também têm sido contatados para viabilizar ações de reinserção das pessoas da terceira idade assistidas no mercado de trabalho.

“Estamos fazendo contatos, usando da expertise, do relacionamento da Associação dos Amigos do HC [para viabilizar] esse nosso mais novo filho da nossa sociedade para a nossa sociedade. Porque a associação nada mais é do que também uma representação da sociedade curitibana e paranaense, em prol da melhoria da saúde, em prol da defesa de direitos. É isso que colocamos em prática em cada dia”, completou.  

Conversa com o parlamento
Depois de apresentar o novo projeto da Amigos do HC, Pedro de Paula Filho conversou com os parlamentares sobre o atendimento da instituição e do próprio Hospital de Clínicas. Fundada em 1986 por Hôda Salamuni, mãe do ex-vereador e ex-presidente da CMC, Paulo Salamuni, a instituição coloca em prática várias ações para arrecadar recursos que possam suprir as necessidades do Complexo HC, levantadas e solicitadas pela diretoria do hospital.

“É uma entidade de altíssimo respeito e credibilidade em Curitiba”, disse Leonidas Dias após enaltecer os projetos desenvolvidos, em especial o Cedivida. “Hoje temos um crescente público acima de 60 anos, temos que dar atenção, condição e capacitação, e geração de emprego e renda para essas pessoas”. Oscalino do Povo (Pode) lembrou que já atuou como voluntário no Hospital das Clínicas e parabenizou a instituição pela iniciativa do programa.

Questionado por Sidnei Toaldo Toaldo sobre a execução de obras no setor de Nutrição do hospital, o presidente da associação disse que a obra custa em torno de R$ 5 milhões e levará cerca de 12 meses ser concluída, tempo necessário para um hospital que continuará funcionando e mantendo o serviço ativo para os pacientes e acompanhantes. Parte deste recurso já foi captado pela Amigos do HC, mas novos eventos serão feitos para dar continuidade à arrecadação.

Já à Noemia Rocha (MDB), presidente da Comissão de Saúde, Bem-Estar Social e Esporte da CMC, Pedro de Paula explicou que as cirurgias eletivas programadas em um projeto do HC que atende pessoas de baixa renda foram interrompidas pela pandemia, em função do redirecionamento do hospital para atendimento da covid-19, mas serão reagendadas. “Hoje o hospital tem 15 mil cirurgias represadas, e em algum momento isso será feito, em algum momento nós seremos exigidos enquanto associação.”

Sobre o atendimento pós-covid especificamente para os idosos atendidos no HC, pergunta também feita pela vereadora, o presidente da associação anunciou que esta demanda foi apresentada pela direção do hospital e a Amigos do HC alugou um imóvel onde será montado um centro de referência ambulatorial pós-covid. Todos os atendimentos para quem teve sequelas serão centralizados nesta unidade, que ficará ao lado do HC e será inaugurada em dezembro. 

À Maria Leticia (PV), que mencionou o fechamento da Maternidade Victor Ferreira do Amaral e a absorção dos atendimentos às gestantes pelo HC e fez um pedido para que a associação desenvolva um projeto voltado ao parto humanizado, o convidado respondeu que já foi iniciada uma ação na maternidade alta complexidade do hospital, com a implantação de dois centros cirúrgicos novos voltados à obstetrícia e que vieram acompanhados de banheiras para o parto humanizado. Ele finalizou afirmando que, no entanto, o debate precisa evoluir.

O debate foi acompanhado pelo superintendente do Amigos do HC, Edelcio Jacomassi. Para conferir a íntegra da Tribuna Livre, que ocorreu após a chamada dos vereadores, acesse aqui.

Feijoada para o Cedivida
No próximo dia 27, a Amigos do HC promoverá sua 15ª edição da Feijoada dos Amigos. O objetivo desta ação será arrecadar fundos para o programa Cedivida. O ingresso custa R$ 150,00. O evento será a partir de 12h no Clube Curitibano, sede Concordia – rua presidente Carlos Cavalcanti,  815, bairro São Francisco. Para mais informações acesse: https://campanha.amigosdohc.org.br/feijoada-dos-amigos-do-hc.

Tribuna Livre
Os temas discutidos na Tribuna Livre são sugeridos pelos vereadores, que por meio de um requerimento indicam uma pessoa ou entidade para discursar e dialogar no plenário. As falas neste espaço podem servir de prestação de contas de uma entidade que recebe recursos públicos, apresentação de uma campanha de conscientização, discussão sobre projeto de lei em trâmite na Casa etc.

Conforme o Regimento Interno do Legislativo, as Tribuna Livres ocorrem nas quartas-feiras, durante a sessão plenária – geralmente, após a votação dos projetos de lei e demais proposições, a menos que ocorra a inversão da pauta. Se você participa de uma entidade, representa uma causa ou atividade coletiva, entre em contato com um dos vereadores para sugerir a realização da Tribuna Livre. O RI veda o uso desse espaço por representantes de partidos políticos; candidatos a cargos eletivos; e integrantes de chapas aprovadas em convenção partidária.

Clique aqui para consultar todos os temas já abordados na Tribuna Livre em 2021.