Em primeiro turno, plenário aprova Rota Gastronômica Sem Glúten

por Pedritta Marihá Garcia — publicado 16/11/2020 15h34, última modificação 16/11/2020 15h34
Além da Rota Gastronômica Sem Glúten, também foi aprovada uma homenagem póstuma a Luiz Bonamin.
Em primeiro turno, plenário aprova Rota Gastronômica Sem Glúten

O projeto de lei ainda precisa ser aprovado em segundo turno, nesta terça-feira (17), antes de estar pronto para sanção. (Foto: Rodrigo Fonseca/CMC)

Com 29 votos “sim”, a Câmara Municipal de Curitiba (CMC) aprovou, em primeiro turno, o projeto de lei que institui a Rota Gastronômica Sem Glúten no Município. De iniciativa de Bruno Pessuti (Pode), a proposta tem o objetivo de “defender e valorizar ainda mais os celíacos da cidade, que já é a capital da conscientização da doença celíaca”. A sessão plenária remota foi transmitida ao vivo pelas redes sociais do Legislativo e está disponível no YouTube.

A matéria (005.00134.2020) visa reunir os estabelecimentos comerciais credenciados pela Associação dos Celíacos do Paraná (Acelpar) numa rota gastronômica chancelada pelo poder público, dentro de uma política municipal de incentivo à alimentação saudável. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a doença celíaca atinge 1% da população mundial, sendo caracterizada por uma reação imunológica exagerada a uma proteína comum em produtos com cereais.

As pessoas com doença celíaca, ao ingerirem esses alimentos, sofrem com inchaço do intestino e diarreia, resultando numa má absorção de nutrientes que pode levar à anemia. Além de incentivar o potencial gastronômico e turístico da cidade, a rota sem glúten terá, entre outros objetivos, o de impulsionar a produção de produtos artesanais sem glúten; criar oportunidades de trabalho, emprego e renda; e ajudar a promover a conscientização da população sobre a doença celíaca.

A comida sem glúten é saborosa, é uma comida saudável, é uma comida que faz toda diferença para quem quer ter um hábito de vida saudável. Porque o glutén, mesmo numa pessoa que não tem a doença, ele demora cerca de 8 horas para ser digerido dentro do nosso organismo. Para quem quer se sentir bem, é sempre recomendado não ingerir a comida com glúten”, explicou o autor do projeto, que retorna à pauta desta terça-feira (17), em segundo turno.

Luiz Bonamin

Também com 29 votos favoráveis, foi acatada em primeira votação a homenagem póstuma a Luiz Bonamin (009.00017.2019), protocolada por Pier Petruzziello (PTB), com a indicação para que ele denomine um logradouro público na cidade. Falecido em julho de 2018, aos 98 anos, Bonamim foi empresário do ramo das auto peças e dirigente da Sociedade Morgenau. Era filho de imigrantes italianos e foi jogador profissional do Clube Atlético Ferroviário na década de 1940. Teve um casamento sólido e feliz por mais de 70 anos com Izolda Bonamin. Tiveram 5 filhos, 9 netos e 8 bisnetos”, destacou o autor da homenagem, que também retorna à pauta de amanhã.

Segundos turnos

Com 29 votos favoráveis, o plenário confirmou a aprovação da homenagem póstuma à Lúcia Camargo, que marcou época na cena cultural do Paraná (009.00010.2020). Por iniciativa da vereadora Julieta Reis (DEM), o nome da ex-diretora da Fundação Cultural de Curitiba e ex-secretária estadual de Cultura do Paraná vai denominar um dos logradouros públicos da cidade. Já a concessão da declaração de utilidade pública à Associação Educar com Amor (014.00018.2020) foi ratificada com 27 votos “sim”. O documento é necessário, por exemplo, para que a entidade possa firmar convênios com o poder público, para o repasse de recursos públicos. A iniciativa é Noemia Rocha (MDB). Ambas as propostas serão encaminhada para sanção prefeitural.

Adiamento

Devido à ausência de Alex Rato (Patriota), foi adiada novamente, por uma sessão plenária, a votação em primeiro turno da iniciativa que concede ao ator, diretor e cineasta Carlos Alberto Vereza de Almeida a Cidadania Honorária de Curitiba (006.00028.2019). O texto retorna à pauta desta terça.