Audiência pública debate enfrentamento da violência sexual e tráfico humano

por Assessoria Comunicação publicado 29/10/2013 16h40, última modificação 20/09/2021 11h23

Nesta sexta-feira (1°), às 14 horas, no Plenário da Câmara Municipal de Curitiba, haverá uma audiência pública sobre políticas de proteção no enfrentamento da violência sexual e tráfico humano. A iniciativa é da líder do PSC, vereadora Carla Pimentel. “A Copa de 2014 deve atrair aliciadores de mulheres, crianças e jovens rapazes. Precisamos trabalhar a prevenção e proteção dessas possíveis vítimas através de políticas públicas eficazes. Precisamos adotar estratégias inteligentes em Curitiba para combater o tráfico humano e a violência sexual”, explica a parlamentar.

Para a audiência foram convidados a presidente da FAS, Marcia Fruet, a Secretaria Especial da Copa do Mundo, o Ministério Público, a Polícia Federal, a secretária da Mulher, Roseli Isidoro, e a coordenação das Delegacias da Mulher do Paraná. Também participa do evento a organização não governamental (ONG) norte-americana Exodus Cry, que vai apresentar relatórios sobre o tráfico de pessoas em grandes eventos por todo o mundo. Segundo a Exodus, a cada ano, mais de 800 mil pessoas são vendidas como escravas sexuais no mundo. Na África do Sul, por exemplo, onde houve o mundial de futebol em 2010, mais de 40 mil pessoas foram aliciadas para os serviços de prostituição e, consequentemente, grande parte foi traficada.

“Curitiba não vai permitir que suas mulheres e crianças sejam vítimas dessa rede internacional criminosa, que se instala nos países durante o período de Copa do Mundo para escravizar o seu povo”, garante Carla. Ela destaca que, por este motivo, realiza a audiência pública. “A partir deste encontro vamos fortalecer medidas para combater esse mal”, explica a parlamentar.

Segundo a vereadora, o tráfico de seres humanos é uma forma de escravidão moderna, que visa lucro pelo cárcere e exploração de pessoas. As vítimas podem ser crianças envolvidas no comércio do sexo, ou até mesmo adultos de 18 anos ou mais, que são coagidos ou enganados para atos sexuais comerciais. “Estatísticas revelam que já no período que antecede a Copa do Mundo, traficantes de seres humanos começam a aliciar vítimas. Eles lucram bilhões de dólares, vitimando milhões de pessoas ao redor do mundo. Os estudos da Exodus Cry mostram que o tráfico de seres humanos é uma das indústrias criminosas de mais rápido crescimento no mundo”, destaca Carla Pimentel.

Exodus Cry

A ONG Exodus Cry foi criada em 05 de fevereiro de 2007, trabalhando sempre com a prevenção e luta contra o tráfico de pessoas. Teve papel fundamental na maior apreensão referente ao tráfico humano da história, que ocorreu no ano de 2007, envolvendo 2.400 prisões em 77 países. A instituição esteve em Brasília, na semana passada, mostrando esta realidade aos parlamentares também em audiência pública. O trabalho da ONG serviu ainda para dar embasamento à CPI do Tráfico Humano, instaurada no Congresso Nacional, este ano.

O convite de Carla Pimentel à Exodus Cry é continuação do trabalho iniciado no Congresso em Defesa da Família, realizado pela parlamentar no mês de agosto, que promoveu políticas públicas de defesa da infância, contra a exploração sexual infantil e outras formas de abuso, da qual participaram o procurador da República, Guilherme Schelb e a assessora jurídica da Frente Parlamentar Evangélica na Câmara dos Deputados, Damares Alves.