"Concregrama não é área permeável", responde Executivo

por Assessoria Comunicação publicado 06/01/2015 10h45, última modificação 28/09/2021 10h40

A respeito do uso do concregrama, estrutura de concreto vazado com grama nos vãos, ou pisograma, estrutura de plástico vazado com grama ou pedra, a Prefeitura de Curitiba respondeu, em dezembro do ano passado, o pedido de informações oficiais ao município, encaminhado pelo vereador Bruno Pessuti (PSC). No documento, o parlamentar questiona sobre o uso da técnica e quais as regras a serem seguidas nas construções (062.00278.2014).

Segundo o Executivo, o concregrama não é considerado como permeável, em especial nas áreas de estacionamento ou circulação de veículos, devido à compactação exercida sobre o solo, o que impede a absorção da água da chuva.

Conforme o ofício da secretaria municipal de Urbanismo, o uso da técnica é permitido no interior dos lotes, exceto no passeio em frente ao imóvel, que é área de domínio público. Ainda assim, para ser utilizado, é necessário atender uma permeabilidade mínima de 25%.

“Na área entre o alinhamento predial e a edificação, na profundidade de cinco metros, não é permitido o concregrama, pois isso facilitaria o estacionamento irregular de veículos nessa área, que é proibido pela legislação vigente e, com a compactação do solo em função disso a área do recuo não seria considerada impermeável”, explica o documento.