Aumento do custo da obra na Arena é debatido em plenário

por Assessoria Comunicação publicado 03/12/2013 15h25, última modificação 21/09/2021 09h11

A reforma da Arena da Baixada para a Copa do Mundo de 2014 foi debatida no plenário da Câmara de Curitiba na sessão desta terça-feira (3). Líder do PSDB, Felipe Braga Côrtes criticou a possibilidade da prefeitura e do Governo do Paraná assumirem a diferença de R$ 80,6 milhões no orçamento da obra que, em sua opinião, deve ser de responsabilidade do Atlético Paranaense, dono do estádio.

O assunto pautou notícia publicada no site da Gazeta do Povo, na madrugada de hoje, em que o presidente do clube, Mario Celso Petraglia, discorda do possível pagamento desta diferença. “Não se pode responsabilizar a Câmara, a Prefeitura e o Estado, pelo término da obra”, reforçou o vereador, ao condenar o modelo tripartite de financiamento.

Jonny Stica (PT) também defendeu que o aumento do custo seja pago pelo Atlético e não pelo poder público. “Prefeitura e governo estadual já contribuíram muito com uma obra que ficará para a iniciativa privada”, reforçou. “Quando a Arena foi escolhida para receber os jogos, dizia-se que 80% do estádio estava pronto. Na época, não foi cogitada a possibilidade de aplicação de recursos públicos na obra”, complementou Braga Côrtes.

Presidente da Comissão Especial da Copa, Paulo Rink (PPS) disse que acompanhou reunião realizada ontem (2), com representantes do clube e do poder público, e garantiu que, ressalvadas as correções monetárias, a diferença do orçamento será arcada pelo Atlético. “Temos que falar do que existe hoje. Não há como prever um calote para daqui dois anos. As diferenças serão assumidas pelo Atlético. O presidente (Petraglia) já assumiu e terá que cumprir isso”, afirmou Rink.

Corredor aeroporto-rodoferroviária

A paralisação das obras de remodelação da Avenida Comendador Franco (Avenida das Torres), que liga o Aeroporto Internacional Afonso Pena à Rodoferroviária de Curitiba, também foi criticada pelo líder do PSDB. Segundo o parlamentar, outra notícia publicada na Gazeta do Povo nesta terça-feira explica que o projeto está parado devido ao atraso no pagamento.

Três construtoras são responsáveis pela obra no trecho entre o aeroporto e a divisa da capital com São José dos Pinhais. Braga Côrtes pediu que a Câmara Municipal, por meio da comissão especial, fiscalize a execução dos projetos de mobilidade urbana para o Mundial de 2014. Ao corroborar a fala do colega, Jorge Bernardi (PDT) sugeriu a instalação de uma comissão parlamentar de inquérito (CPI) para investigar a execução de investimentos na preparação da cidade para a competição.

Debate anterior

Na segunda-feira (2), Felipe Braga Côrtes pediu posicionamento da Comissão Especial da Copa de 2014, junto à Fifa, quanto à prorrogação do prazo para a conclusão da reforma do estádio do Atlético e manifestou preocupação quanto à possibilidade de Curitiba não sediar o evento em junho do ano que vem.

Conforme determinação da organizadora do mundial, as cidades-sede da Copa 2014 têm que entregar os estádios prontos até 31 de dezembro de 2013. A capital paranaense não conseguirá cumprir a meta. “O questionamento deve ser feito sim e esclarecido em momento correto. O jogo-teste foi adiado (para 10 de fevereiro), mas a Copa está garantida”, respondeu Rink nesta terça-feira.

O presidente do colegiado também disse que os relatórios da obra na Arena da Baixada foram encaminhados à Comissão Especial da Copa e serão apresentados na reunião desta quarta-feira (4), agendada para 14h30, na Sala 2 das Comissões da Câmara.