Vereadora Maria Leticia (PV)  |  2º mandato (2021-2024)

Perfil, contato, comissões das quais participa, projetos e notícias

Maria Leticia (PV)
  • Outras informações sobre Maria Leticia
PartidoPartido Verde (PV)
pv-logo-partido-verde-logo-150.png 
Legislaturas
  • 18ª (2021-2024)
  • 17ª (2017-2020)
Comissões das quais participa
Frentes parlamentares das quais participa
GabineteAnexo 2, 3º andar, sala 4, com acesso pela rua Visconde de Guarapuava. 
Telefones3350-4627 (4627 a 4632)
Redes sociais[Omitidas até depois do pleito deste ano, em razão das restrições eleitorais]
Site/e-mail 

Liderança ou função específica
  • Procuradora da Mulher (Biênio 2021/2022)
  • 1ª vice-líder do bloco parlamentar PT/PV
  • Líder do PV
  • Presidente da Comissão de Meio Ambiente, Desenvolvimento Sustentável e Assuntos Metropolitanos
  • Vice-presidente da FP em Defesa dos Direitos da População em Situação de Rua
Nome civil/nascimentoMaria Leticia Fagundes;
Guaratuba (PR), 06/10/1959
Resultados eleitorais
  • 2020 (4.019 votos - PV)
  • 2016 (3.311 votos - PV)

 

 

PERFIL DA VEREADORA

Médica-legista e ginecologista, Maria Leticia (PV) foi reeleita para seu segundo mandato consecutivo com 4.019 votos. Mãe, atleta e ativista dos direitos das mulheres, foi quarta-secretária da CMC na gestão 2019/2020.

Maria Leticia Fagundes é ginecologista, médica-legista e vereadora pelo Partido Verde em Curitiba. Parlamentar brasileira atuante no Paraná, é natural de Guaratuba (PR). Formada pela Faculdade Evangélica de Medicina do Paraná e pós-graduada em Ginecologia pela Universidade de São Paulo (USP), foi por mais de 25 anos servidora de carreira na Polícia Científica, como médica-legista do Instituto Médico Legal.

Entrou para a política após passar anos atendendo vítimas de violência no IML. O contato direto com tantas mulheres e crianças vítimas de violência doméstica e de gênero fez surgir na médica-legista a necessidade de oferecer um apoio maior do que o que lhes era ofertado durante as consultas. Em 2012, fundou a ONG Mais Marias, organização que nasceu com o compromisso de informar a sociedade sobre a Lei Maria da Penha. Com a ONG, passou anos realizando palestras em comunidades de vários bairros de Curitiba, Região Metropolitana e interior do Estado, dando orientação para vítimas de violência. Triatleta e corredora de rua, Maria Leticia também é a idealizadora da Corrida e Caminhada Mais Marias Contra a Violência, que reúne centenas de apoiadores da causa.

Em 2016, Maria Leticia torna-se vereadora na capital paranaense pela primeira vez,  ingressando na Câmara Municipal de Curitiba. Nas eleições de 2020, foi reeleita e desde então se configura como a vereadora mais atuante de Curitiba, segundo o ranking 2021 de Jornalistas Independentes do Jornal Plural. Autodeclarada de centro-esquerda, a vereadora afirma que saúde, direitos humanos, meio ambiente e direito da mulher são as causas que mobilizam seu mandato. Nesse contexto, prioriza o enfrentamento à violência contra a mulher, com um olhar específico para seus direitos e de seus filhos.

Histórico parlamentar
Eleita em 2016 para o primeiro mandato com 3.311 votos pelo PV - Partido Verde - foi presidente das comissões de Direitos Humanos, Defesa da Cidadania e Segurança Pública e de Saúde, Bem-Estar Social e Esporte. Foi a primeira procuradora-adjunta da Procuradoria da Mulher da CMC e quarta-secretária do Legislativo na gestão 2019/2020.
Maria Leticia é autora de leis como a “Drink Maria da Penha”, que obriga estabelecimentos como bares, cafés, restaurantes e casas noturnas a adotarem medidas de auxílio e proteção à mulher em situação de risco de assédio; a que instituiu as políticas públicas de incentivo ao desuso de canudos e copos plásticos descartáveis; e a que regulamenta o trabalho das funerárias, evitando cobranças indevidas.
Aos 61 anos, ela foi reeleita em 2020 com 4.019 votos também pelo PV. Entre os projetos de sua autoria que tramitam no Legislativo destacam-se o que institui a "Ação Municipal Curitiba Livre de Agrotóxicos", regulamentando o uso e armazenamento de agrotóxicos, o incentivo à agricultura orgânica e à agroecologia; o que cria o Dia Municipal da Conscientização quanto ao uso de produtos à base de cannabis para fins medicinais; e o que regulamenta a obrigatoriedade da separação, destinação e compostagem de resíduos sólidos orgânicos no município.

» Com informações cedidas pelo mandato parlamentar.