Licitação para serviços gerais da CMC é debatida em reunião da Mesa Direta

por José Lázaro Jr. — publicado 20/01/2021 15h57, última modificação 20/01/2021 15h57
Desde o início da gestão, nova Mesa Diretora tem realizado reuniões abertas para avaliar a situação dos contratos da CMC.
Licitação para serviços gerais da CMC é debatida em reunião da Mesa Direta

Mesa Diretora debate com vereadores licitação dos serviços gerais da CMC. (Foto: José Lázaro Jr./CMC)

Renovado em caráter emergencial até 30 de junho, o contrato da Câmara Municipal de Curitiba (CMC) com a empresa Obra Prima Tecnologia e Administração de Serviços foi objeto da reunião da Mesa Diretora e vereadores, nesta quarta-feira (20), com o procurador Ricardo Tadao, da Diretoria Jurídica de Administração. Tadao explicou como a licitação anterior virou uma disputa na Justiça Estadual entre as concorrentes, levando a gestão da CMC a considerar a realização de uma nova licitação.

A atividade, em plenário, é uma iniciativa da nova Mesa Diretora. “Estamos realizando essas reuniões de forma aberta, para que os parlamentares possam participar da administração da CMC, com transparência e zelo pelo patrimônio público. As exposições servem para nos atualizarmos sobre os contratos e, avaliando-os, estabelecer prioridades”, comentou Tico Kuzma (Pros), presidente da CMC, eleito para estar à frente do Legislativo de 2021 a 2022.

Da Mesa, além do presidente Kuzma, participaram da atividade Alexandre Leprevost (SD), primeiro vice-presidente, Flávia Francischini (PSL) e Professora Josete (PT), primeira e segunda secretárias. Também os vereadores Mauro Bobato (Pode), Indiara Barbosa (Novo), Osias Moraes (Republicanos), Éder Borges (PSL) e Marcelo Fachinello (PSC). A pedido de Tadao, também participou da reunião Roberval Moreira, diretor de Licitações.

Na sua exposição, Ricardo Tadao justificou a decisão da Mesa anterior, de preparar uma nova licitação em vez de insistir na Justiça Estadual até a solução da “celeuma jurídica” criada pela disputa entre as concorrentes. “Estamos prontos para publicar o novo edital e a renovação [com a empresa Obra Prima] por seis meses dará cobertura [à CMC] até a conclusão da nova licitação”, afirmou. 

Trata-se de um contrato de R$ 678 mil por seis meses de trabalho, que inclui serviços para toda a CMS de limpeza, conservação, higienização, jardinagem, copa, controlador de tráfego e outras funções de serviços gerais, incluindo, além da mão de obra, “o fornecimento de todos os produtos, uniformes, materiais, utensílios e equipamentos necessários para a execução dos serviços” (confira o contrato).

Ao final da reunião, o presidente da CMC adiantou que a Mesa Diretora tem debatido o novo edital de licitação, para a revisão dos itens a serem contratados. “Com a revisão do descritivo, será possível continuar com o processo de licitação. Os papéis, tanto os relacionados à ação judicial, quanto a isto, estão à disposição dos vereadores interessados”, observou Tico Kuzma, ao final da atividade.  A exposição foi acompanhada pelo diretor-geral da CMC na gestão Sabino Picolo (DEM), Daniel Dallagnol, e pela servidora Jussana Marques, designada para ocupar esta função no biênio 2021-2022.